Início > Filosofia de botequim, Papo cabeça > A menina que mora em Londres

A menina que mora em Londres

Já faz um tempo que eu procuro uma maneira de dizer alguns pensamentos sobre morar fora do país e do abismo que existe entre o que muita gente fantasia e a realidade.

As pessoas supervalorizam, né?

Mas a pergunta é,  por que?

Acho que não poderia falar sobre isso sem buscar na minha vida as respostas, mas realmente acho que acontece com muita gente na mesma situação que estou.

Londres é linda, democrática, cosmopolita, moderna e antiga ao mesmo tempo. Sim, Londres é o máximo. Assim como Paris é, assim como NY deve ser, assim como o Rio de Janeiro é.  Lugares são como pessoas,  algumas  se destacam, a natureza foi mais generosa com umas do que com outras, a sorte e a história também. Não dá para negar isso, nem tentarei.  Mas viver numa cidade assim te torna tão especial e diferente ?

Hummm, não.

Não quero bater na tecla de que o que se tem aqui se tem em qualquer lugar, não é isso. Tenho consciência que muita informação chega antes, que existe uma facilidade maior de encontrar novidades em geral, é muito mais fácil viver de arte por essas bandas, ixxi é uma lista enorme de coisas,  tenho noção dessa diferença  que não é lenda, existe mesmo. Também devo ressaltar que viajar muda sim uma pessoa. A gente aprende com o novo, a gente respeita outra cultura quando entende melhor de onde ela vem, a gente fica mais tolerante com as diferenças, pelo menos quem viaja e não só faz turismo. Mas este post não é sobre viagem, é sobre vida.

E a tecla que quero bater é outra. Eu queria entender por que as pessoas pensam que é mais especial viver fora do Brasil que em qualquer outro lugar. No sentido de acordar, andar, tomar banho, fazer xixi, respirar, entendem?

Acho que as pessoas fazem uma idéia diferente do que é morar fora do país até viverem a experiência. E não digo passar uma temporada, digo viver mesmo, sem passagem de volta. Pensar que dali para frente, aquele é seu lar, até você mudar de idéia e querer recomeçar mais uma vez, é ali onde você vai ter seus filhos,  casar, mudar de emprego, comprar sua casa. É como ser como ser casada com uma celebridade(deve ser, penso eu). No início é tudo muito cinematográfico,  fotogênico, muito mágico. Depois de um tempo a pessoa é como qualquer outra, uma pessoa que faz parte da sua vida. E como em qualquer relacionamento, tem alegrias e dissabores. Mas de vez em quando você ainda olha para a pessoa e pensa, “nossa, estou casada com esse cara que eu via na televisão, tão especial e disputado”. Deve ser assim. É assim que eu me sinto em relação a Londres. Eu brigo com Londres, eu xingo Londres todinha, eu odeio Londres, eu amo Londres, eu nunca vou sair de Londres, eu arrumo as malas e vou embora agora, fui para aerporto. Mas que fique claro, é assim que me sinto quando vou ao Brasil, é assim que me sentia quando morava em Vitória. Nossa, eu sou desse lugar, essa é minha referência. Essa praia linda faz parte da minha história, do que sou, essa alegria de viver tem no meu DNA, olha a tarde caindo a ave maria tocando e o pescador puxando a rede, olha a capoeira rolando num domingo de manhã, sente o cheirinho do mar, ouve o quebra queixo, olha o sol se ponde, esse céu azul só existe aqui, sou de um lugar onde as pessoas brilham e são diferentes.  E depois de uma ida à caixa econômica o discurso muda. Eu odeio aquele lugar, vou arrumar as malas agora, eu nunca voltarei a morar aqui, as pessoas não tem educação, será que ninguém sabe falar por favor? Viu como é igual?Tudo tem dois lados.  E o mais louco  é saber que muitas pessoas sonham e fantasiam uma vida sem ter a mínima idéia do segundo lado.  Elas querem poder usar casaco de pele, comprar na H&M,  comprar na Sephora de Paris, contar para amiga que ela já tem a bolsa nova da marca x que nem chegou no Brasil, elas inclusive preferem ser assaltadas em Paris à andarem em Ipanema com medo de esbarrar com um possível ladrão, imagine que chic ser assaltada em francês. Elas reclamam do calor infernal sem tem a mínima idéia que reclamariam do frio glacial. Tudoamesmacoisa.

Ai você me pergunta por que estou aqui se é tudo igual.  E eu digo. A minha escolha de viver aqui nada tem a ver com o glamour que as pessoas inventam, ou com o fato de que Fulaninha e Beltrinha vão me achar o máximo, ou de  poder  comprar o armário inteiro da Topshop, ou disso ou daquilo. Viver aqui para mim é uma decisão muito mais complexa, que envolve a minha vida e o que será melhor para mim no contexto geral, profissionalmente em especial, que não tem nenhuma relação com as bobagens que algumas pessoas pensam e valorizam, isso nunca fez a menor diferença nessa minha escolha. Mas é assim que tanta gente me vê.  Gente que não faz parte da minha vida(nem poderia), mas que esbarra comigo por aí, que esbarra com a mocinha moradora de NY que pensa como eu, que esbarra com a menina que mora em Milão e também não está nem tchum para toda essa bobagem. E essa gente  esquece o que eu penso de verdade, o que eu  enxergo, as minhas idéias. O que vale é o mundo que me envolve. Não que ele seja desimportante para o que eu sou e no meu amadurecimento ao longo dos anos, mas sou muito mais do que aquela menina que vive em Londres.

  1. fátima carneiro
    abril 15, 2010 às 15:24

    Poderiamos chamar este post de “Mágoa de Cabocla III”???? rsrs
    Gostei do “arrazoado”, bem vc mesmo, e é por isso q q te amo: vc diz o q pensa, minha “ídala”,rs
    mil bjs

    • abril 15, 2010 às 16:29

      Eu digo mesmo, e queria que mais gente falasse tb!
      bjs mil

  2. abril 15, 2010 às 19:24

    tb fico indignada com quem acha que morar no exterior é puro glamour… principalmente quem viaja achando que lá fora é tudo mais fácil e vai sem um plano profissional, de estudo, de nada! adorei sua analogia =]

    ;*

    • abril 15, 2010 às 19:32

      O buraco é muito mais embaixo do que se pensa mesmo. É bacana mas está longe de ser um mar de rosas!
      bjs

  3. abril 15, 2010 às 19:31

    Nossa, nunca tinha entrado no seu blog, e dou se cara com um texto o máximo! adorei!
    nunca morei fora, mas pretendo, pra estudar e tal.. como você disse, crescer e tal..
    adorei, parabens pelo blog
    beijos

    • abril 15, 2010 às 20:42

      Obrigada, Aline! Fico feliz por ter gostado do blog!
      bjs

  4. marinalorencao
    abril 15, 2010 às 20:39

    ai Lili eu cheguei a chorar! ai se eu tivesse lido esse post ha 5 meses atras… talvez entenderia mellhor o que estou passando agora! eu acho que prefiro ter que entrar o retso da minha vida num Barclays do que poder mergulhar num mar poluido e ter que aguentar tanta gente mal educada! foi mal… mas to meio revoltada com algumas situacoes do cotidiano! mas… como escolhi estar aqui… estou fazendo o melhor possivel… e estou conseguindo! mas acho que… deixa pra la… um dia a gente conversa sobre isso tudo… beijo enorme! e amo falar com vc! e adoro seu blog! apesar de nao comentar sempre… nao acho que seja perda de tempo como em muitos outros!

    • abril 15, 2010 às 20:43

      Obrigada, lindeza da minha vida! Vc é minha puxa saco e não vale,kkk.
      Mas todo lugar tem sua dor e sua delícia, lembre-se disso!
      bjs mil

  5. Gabi
    abril 15, 2010 às 20:51

    gata, concordo muito contigo, é bem isso mesmo.
    em todos os lugares teremos amores e dissabores…
    eu amo morar em vitória, acho bem difícil decidir sair daqui prá ir prá qq outro lugar. mas tb tenho meus dias de querer fugir prá bem longe e tentar achar novos problemas prá minha vida.
    pq no fundo é isso, a gente muda prá tentar mudar de problema, porque cansou do problema antigo.
    mas sempre nos deparamos com outros, oras mais, oras menos difíceis.
    e adooooro pessoas que vão, que topam enfrentar tudo, largar as mordomias e se jogar no mundo! aí eu arrumo minhas malas e vou visitar essas pessoas que amo tanto! hehehe
    o resto é resto, C&A, H&M são só siglas, né?
    beijos e até daqui a pouco, ebaaaa!

    • abril 15, 2010 às 21:19

      É como mudar de casamento,hehehe.
      E sua interesseira cara de pau!
      Estamos contando os minutos! Haja fôlego para acompanhar vcs, quero ver como me sairei!
      bjs e até +!

  6. marinalorencao
    abril 16, 2010 às 02:39

    Lili sempre meiga e modesta! ate parece que vc naum aguenta qq coisa! se fosse eu tudo bem alguem poderia ate ficar preocupado… sou fraca confesso… mas a Lili da conta direitinho! hehehehehe beijo

  7. Carol Prince
    maio 23, 2010 às 23:45

    Adorei!

    Vim parar aqui pelo DCNL

    • maio 25, 2010 às 09:51

      Obrigada, Carol! Fico feliz que tenha gostado!
      bjs

  8. Heloisa Helena
    dezembro 23, 2010 às 13:07

    Fiz uma busca sobre Londres, e vi seu comentário, adorei, muito verdadeiro.
    Eu sonho em ir a Londres, mais pelo passado de Londre, a arquitetura, sua história, vejo um mundo antigo e um novo, isso me fascina. Mas nunca pensei em deixar o Brasil. Aqui eu me sinto segura. Tô em casa. Boa sorte pra você.

  9. junho 11, 2011 às 17:12

    oi Carol,
    bem legal seu texto e dá pra fazer pensar a respeito. Assim como vc moro fora, mas na Holanda e vou com uma certa frequencia a Londres que adoro e ainda sonho morar la um dia.Te convido a visitar meu blog com muita informacao e cronicas e links e dicas legais: http://www.biramalta.com

  1. abril 16, 2010 às 17:57

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: