Início > Filosofia de botequim > Marca x Preço x Qualidade

Marca x Preço x Qualidade

Dia desses passeava por um loja de uma libra(tipo as de 1,99 do Brasil), quando vejo uma estante lotada de shampoo e condicionador Schwarzkopf(nomezinho desinfeliz que só o santo Google para ajudar!). E aí bateu aquela dúvida. Não é esta a marca de shampoo que custa minha córnea, com cicatriz e tudo no Brasil? Sim, a própria. Impostos e preços tupiniquins ridiculamente altos à parte, isso me fez pensar. Assim como pensei quando encontrei várias coisas que tenho em casa pelo dobro do preço na Urban Outfitters, assim como vejo sempre uns absurdos por aí. Ok, não sou burra e bem sei que muita coisa vai para outlets e lojas de promoção pois encalharam no estoque, porque o prazo de validade está prestes a vencer(no caso de produtos perecíveis) etc. e tal. Ok, eu aceito e entendo. Mas vem comigo. O produto pode custar até 100 reais, minha gente. Meninos eu vi no mercado livre! E aqui ele custa menos de 3 reais, numa loja onde tudo custa 1 libreta(incluindo maquiagem revlon, e cosméticos de marcas legalzinhas). Eu repito, menos de 3 reais(não se faz libra como antigamente). Quanto a marca esta comendo nessa brincadeira? Até que ponto pagamos realmente por qualidade? Quanto vale uma marca? Você compra marca, qualidade ou preço?

Eu ando me questionando tudo isso nos últimos tempos. Sempre fui super barganheira. Tenho uma queda pelos baratinhos. Prezo pela qualidade também, mas muitas vezes fui só pelo preço, no meu caso preço baixo. De uns anos pra cá ando mais exigente. Querendo qualidade com Q maiúsculo. E desejando algumas marcas nunca dantes navegadas. Marca de gente grande, de mulher distinta.

E desde que  comecei a frequentar umas lojas melhores, notei que nem sempre se tem o que preço que se paga, em suma, qualidade não é necessáriamente preço alto. Uma marca não se constrói só de qualidade, também sei. Nõa estudei, mas imagino que a tradição, originalidade, tempo de mercado e tantas outras coisas fazem parte do preço. Mas para o cliente, o que conta, ou deveria, é a qualidade e ponto. Já manifestei minha antipatia por marcas viajantes e que cobram preços de celebridades, como Hermés, por exemplo. Não concordo com esses preços, e tenho nojinho dessa seleção de clientes por preço que marcas assim fazem, pois só mesmos gente muito rica, ou maluca, paga os valores na lua deles. Hoje eu faço a mística e vou pela intuição. E pelo olho porque não sou boba. Sou uma cliente super chata, checo o caimento da roupa, o acabamento, o preço , tudo que eu julgo importante. Não vou dizer que sou imune à marcas ainda. Atire a primeira Prada quem nunca se deixou levar só por um nome. Mas hoje eu procuro um conjunto de coisas na hora de gastar o meu rico dinheirinho. E não é só preço baixo que me convence, nem a marca tal, tem que ter muito mais.

E vocês, compram marca, qualidade, preço ou fazem um balanço disso tudo?

Anúncios
  1. Lilica
    agosto 5, 2010 às 19:01

    Bem, foi a época q eu comprava pela quantidade e tbem pela marca.
    ai resolvi fazer um balanço.
    Nao compro uma regata basica pelo preço de uma camisa, so pq é da marca X. Mas tbem nao compro da marca Y pq posso comprar 10 mas so poderei usar 1 vez.
    Sou tbem bem exigente. Tenho algumas peças q paguei mais caro e tenho ha uns 10 anos. Valeram cada centavo. Mas tem q ter olho mesmo, pq tem coisa cara q a qualidade nao é das melhores, e eu nao sou boba de pagar uma etiqueta. nananina né Lili!
    Bjoooo de novo

    • agosto 5, 2010 às 21:07

      Eu tb, Lilica ! Esses dias deu a louca de comprar uma camisa branca numa loja cara. E achei que valeu a pena, pois o tecido é ótimo e vestiu hiper bem. Sei que é algo atemporal e usarei até acabar, então valeu o investimento. Mas não caio nessas armadilhas de marca nem pensar! A marca pode ser importante, mas marca sem qualidade não é nada!
      bjs

  2. Gabi
    agosto 5, 2010 às 21:25

    eu nunca fui ligada em marca, a nao ser na fase adolescente em que a gente acha que nike air determina a nossa personalidade….
    mas tb nao sou uma eximia consumidora…gosto de lojas de departamente nao so pelo preço, mas pq tenho agonia de vendedora achando que sabe o que fica bom em mim…
    mas confesso que com a idade tenho prestado mais atençao na qualidade das roupas que compro, quando compro…rs
    concordo com tudo no post, lili! ai em londres da pra enxergar bem o absurdo que é vender um produto pela etiqueta e valorizo demais quem tem senso critico para entender isso!
    ah, marinets chega hj, que coisa boa, gente! vamos lembrar de vc bastante enquanto brindamos e colocamos o papo em dia!
    muito beijos!

  3. agosto 6, 2010 às 12:41

    Concordo plenamente com você!! Sempre optei pela qualidade de um produto ou serviço!!
    Temos que dar o devido valor ao nosso dinheirinho que é tão suado… sem contar que quando queremos nos dar um mimo de presente pagamos o preço pois, também, ninguém é de ferro né?!!

  4. Paula Gratz
    agosto 6, 2010 às 16:56

    Ultimamente tenho ido mais pelo preço, mas também não saio comprando qualquer coisa, sempre olho a qualidade do produto, quanto a marca já não me importo nada. Agora se vejo um produto que simplesmente amei, e que também tenha uma otima qualidade acabo comprando mesmo que seja caro, mas como minhas amigas sabem, consigo me controlar bem. bjs

    • agosto 13, 2010 às 13:13

      Meninas, fico feliz que entenderam minha opinião!
      bjs

  5. agosto 12, 2010 às 22:35

    É fato que muitas pessoas fazem uma associação automática entre preço alto/boa qualidade. Então, no caso do Brasil, é normal que ocorram certas distorções na pecepção de qualidade justamente por esses preços absurdos que se cobram por alguns produtos que, internacionalmente, são muito mais baratos. Não sei se me expliquei bem. O que eu queria dizer é que, se um shampoo custa R$100, por exemplo, muita gente pode pensar automaticamente que se trata de um produto maravilhoso e acaba comprando esse produto não pela qualidade em si, e sim pelo fato de ser caro, importado, diferente. E, como vc falou, se trata de um shampoo de 1 libra! Nossa, nós sabemos que os impostos de importação são abusivos, chegando a quase 100%, mas não há nada que justifique o fato de um shampoo Schwarzkopf ser tão caro (não consigo deixar de me revoltar). Na Espanha um vidro de shampoo dessa marca não passa de 3€. E, nossa, R$100 por um shampoo? Um Fekkai 2.0 custa 20€, gente! Imagine então o preço no Brasil. Enfim, já é tarde aqui, acho que estou me expressando muito mal. Espero que tenha dado para entender o que eu escrevi. 🙂
    Ótimo post. Eu também sou muito exigente com a qualidade e é o que mais conta para mim. Sou muito chata na hora de comprar algo. Mesmo assim, confesso que algumas (poucas) marcas têm uma reputação excelente comigo, então já compro coisas de algumas delas praticamente “de olhos fechados”. Tá, eu só fecho um deles, o outro continua bem aberto, hahaha!
    Beijos e aproveite muito o verão!

    • agosto 13, 2010 às 13:12

      Eu tb me revolto demais! E não se deculpe, entendi sua opinião perfeitamente!
      bjs

  1. maio 31, 2014 às 00:34

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: