Início > Cabelos > Evolução capilar

Evolução capilar

Da última vez que cortei o cabelo tiveuma vontade de pintar pela segunda vez na vida. Sei lá, me deu uma sensação de que estou numa mesmisse capilar, sabe?Foi aí que comecei a fazer um filme dos meus vários cabelos, e apesar de só ter pintado uma vez, já tive muitos cortes diferentes. Vamos acompanhar minha evolução.

Digamos que tudo começou, do zero. Zero mesmo, nasci sem cabelo para o desespero geral da minha mãe, avó e tia. Todas adoram pendurar uma melancia na cabeça e não viam o momento de me transformarem em árvore de natal versão pocket. Aí eu vim careca para dificultar a missão.

Mas alguns anos depois tudo se resolveu. Estava eu toda de paetês, tule, penas e pagando peitinho, e com algum cabelo. E mamis já fazia miséria com esse titico de penugem.

Depois veio a fase penteados. O cabelo estava maiorzinho e mamis se fazia.

E nessa fase mesmo eu era a feinha mais linda de todas, pode falar que você nunca viu um jacaré de 4 olhos mais fofo antes, rs.

Uma palavra resume essa fase minha. Piolho! Quem não teve um Joãozinho por causa de piolho teve sorte.

Essa é a era Romeu. Todo mundo da minha geração passou por uma tristeza dessa de ter um pinico na cabeça. Até que o meu pinico não era tão mal assim.

Aqui o pinico já tinha virado balde. O cabelo estava crescendo. Pausa para comentário: papai é muito gato!

Desta fase até meus 16 anos é só tristeza gente, juro!

Depois dessa fase quem achou que não iria piorar se enganou totalmente. Uma mistura de as panteras com Chitãozinho e Xororó toma conta das cabeças. E como se não bastasse isso, esta foi minha idade de mudanças hormonais.10 aninhos de idade. Uma tempestade de fios alternativos. O meu corpo ainda não sabia se queria cabelo cacheado ou liso. Na dúvida, ficou com os dois. Espero que admirem minha coragem pois essa é a foto que eu mais odeio de todas tiradas nos meus 31 anos de vida. Espero que se recuperem do choque. Não tentem isso em casa. Misericórdica, senhor.

Sem maquiagem e sem secador o cabelo ficava assim ó. E nem me venha falar do poder da maquiagem e do salão na vida de um ser humano. Eles também podem ser usados contra você.

Ainda pode piorar amigos. Sim, o espírito da Bossa nova baixou em mim e decidi virar Joyce aos 15 anos.

Depois disso a sanidade tomou conta do meu ser pela primeira vez e resolvi ter um cabelo de gente. Adoro esse corte pois dava uma impressão de cabelinho de época, o corte ajudava a parte de trás a ter um voluminho. Esse foi mais ou menos nos meus 18 anos. E esta mesa com a bagunça generalizada é do meu pai, de quem herdei o DNA da bagunça. Vejam como me sinto em casa no meio do vucovuco.

Fiquei um bom tempo com esse cabelo e algumas poucas variações. Sou carnavalesca, não nego e serei até quando puder. Nessa  fase (que faz parte de uma variação da anterior,cabelo parecido mas deixando crescer) eu sonhava em ser a primeira mulher fruta e minha perna estava quase igual a do Roberto Carlos. Dura como uma parede e como eu gostaria que estivesse hoje. O cabelo não era prioridade e o secador passava longe. Acho que nesta eu tinha meus 20 anos. Bons tempos.

Meses antes da formatura virei Madalena arrependida com um cabelo reeeeeto, lisérrimo e super longo.

Pouco tempo depois eu entrei na fase da tesoura. Foi o trauma da fase Madá. Todo mês cortava o cabelo! E logicamente, ele foi encolhendo.

E encolheu até voltar a estaca zero. Foi a única vez que pintei o cabelo, para chegar a triste conclusão que meus fios não aguentam muita química. Só tive coragem pois cortei super curto e a manuntenção é moleza.  Eu gosto muito desse cabelo curtinho para mim, mas hoje faria com uma franja mais longa e a parte de trás mais curta. A cor também me agrada, mas ter um cabelo virgem de novo deu um super trabalho. Essa foto foi no meu aniversário de 23 anos. Meu namoro com Klaus estava no início aí, muito engraçado ver como já faz 8 anos!

Depois deixei crescer. E é um sofrimento deixar um cabelo curtíssimo crescer.Graças a Deus que o meu cabelo cresce feito grama, então depois de poucos sofridos meses já deu para ter um corte definido de novo. Esta foi minha última foto como moradora de Vitória. Minha última noite no Brasil antes de vir a Londres.

E esta foi uma das primeiras na terra da Rainha. O cabelo fica diferente aqui.

6 meses depois meu cabelo cresceu bastate. E eu também.Virei plural e aumentei até de sujeito saindo de “eu” para “nós”. O casamento foi para 15 pessoas, o vestido foi da topshop, não tínhamos um puto para nada e até hoje me pergunto como fizemos a festa para essas 15 pessoas. E mesmo assim foi um dos dias mais felizes da nossa vida. Porque para a cerimônia acontencer só é preciso 3 coisas: um casal que se ama, alguém que dê a benção e uma testemunha. O resto é resto.

Nesta fase a gente saía todo dia, toda hora, todo minuto. E eu trabalhava em média 60 horas semanais(acordando as 4 da matina) e estudava. A vida era um loucura, a gente era feliz e sabia. Mas não tinha tempo pra cabelo, roupa, maquiagem, nada. O tempo que sobrava era para curtir a vida! Essa foi a minha fase de descoberta dos chapéus, gorros e similares.

O cabelo cresceu e a minha busca por um profissional perfeito para cortá-lo começou. E como não arriscava mudar ia deixando o cabelo crescer e crescer. Achei um que era ok, e cortei a franjinha.

A franja cresceu e o cabelo ficou enorme como nunca dantes.

Eu sinto saudade do cabelon. Assim como sinto da fase Joãozinho. Geminiana, né gente! Normal.

Ai tudo mudou na minha vida. Em 2008 minha querida colega de trabalho me indicou um salão. E eu já cansada dos salões brasileiros resolvi arriscar. A verdade é que eu achava idiotamente que os salões daqui tinham uma certa dificuldade com cabelo que não seja super liso. Ou com pessoas que não querem o cabelo super liso. Mentira. Só tinha ido a profissional brasileiro com esse pensamento e acabei na mesmisse dos brasileiros daqui. Também achava que pagaria uma fortuna a mais. Mentira que eu pago um pouco a mais. Só não entendo porque tantos profissionais brasileiros que estão aqui não fazem cursos e atualizações. Meu cabeleireiro no Brasil era maravilhoso e sempre teve idéais modernas. E aqui com tanta oportunidade tem gente que para no tempo. Vai entender. Mas voltando, acheia Sophie e fomos felizes para sempre! Esse foi o primeiro corte que ela fez em mim.

Um tempo depois fui ao Brasil e passei a tesoura. Charles, meu cabelereiro, amigo e piadista de todas as horas não teve pena e tosou.

É um milagre que exista uma foto minha no Brasil sem uma cerveja ou caranguejo na mão.

Pena que toda essa revolta do meu cabelo só durou enquanto havia umidade. De volta a Londres o cabelo ficou essa coisiquinha murcha.

Depois ele cresceu e cresceu, ficou super reto como estava antes de ser cortado.

E agora está desse jeito que vocês já sabem! É só olhar um dos milhões looks do dia.  A verdade é que fazendo essa restrospectiva a gente vê que assim como as roupas, os cabelos evoluem de acordo com o que acontece na nossa vida. Eles vão acompanhando as nossas mudanças e as diferentes realidades a que somos expostas. E fico imaginando agora, como estarão os meus fios em 10 anos?

Categorias:Cabelos Tags:
  1. outubro 1, 2010 às 17:48

    Adorei!!!!!!! Nossa, li como se fosse um desses livros que a gente nao consegue parar antes de chegar no fim!!!
    Tenho uma longa e bem recheada historia com meu cabelo tbm, super me identifiquei!
    O que mais gostei foi o curtinho e o primeiro corte que a Sophie fez.
    Beijos!
    Lais

    • outubro 1, 2010 às 17:58

      Nós mulheres sempre temos uma história com o cabelo, né? É tão importante para a gente! Eu tb amo esse cabelo que Sophie fez, mas estou numa fase penteados agora, e para isso é melhor ter menos camadas.Eu queria ver seu cabelo ruivo, deve ser demais!
      bjs

  2. fátima carneiro
    outubro 1, 2010 às 18:04

    direto do túnel do tempo, adorei o post, o meu preferido é de qdo o Charles cortou (essa foto q vc está entre seu pai e avó).
    eu tb gostaria de te ver ruiva, ia ficar linda tb, mas vc não tem ideia como é dificil se manter ruiva qdo não é natural, afff….cabelo vermelho desbota demais e depois pra mudar é todo um processo, não dá pra mudar de uma vez só, mas te alerto, toda mulher um dia pinta o cabelo de vermelho, sua hora vai chegar,kkkk

    • outubro 1, 2010 às 18:09

      Deus me livre! Ruivisse é lindo de morrer, mas quem é morena como eu de jeito nenhum. Senta e espera que isso dificilmente vc verá!!!!
      bjs mil!

  3. fátima carneiro
    outubro 1, 2010 às 18:18

    vc é q pensa, morena fica linda de cabelo “levemente vermelho” o q eles chamam de acobreado,rs, espéééééra pra vc ver,rs

  4. Paula Gratz
    outubro 1, 2010 às 20:45

    Lilica, antes de mais nada vai aqui o meu protesto ciumenticio, kd eu na foto da facul? Como assim que eu não apareci? Não posso admitir uma coisa dessas, rsrrs. Fora isso adorei o post, é sempre tão bom ver uma retrospectiva desse jeito.
    Qt ao cabelo ruivo, dizem q é muito dificil manter a cor legal, mas eu não tenho esse problema, rsrsrs, (a mais nojenta de todas). bjs amiga.

    • outubro 1, 2010 às 20:48

      Ai, vc pode ser nojenta pq a cor do seu cabelo é a mais linda de todas mesmo. Superhiper ruivo e brilhoso ainda! Mas então, mande uma foto nossa da época da formatura que eu mudo. Essa aí não aparece meu cabelo direito! bjs mil

  5. Paula Gratz
    outubro 1, 2010 às 20:51

    Esqueci de comentar, Zé Carlos era muito gato mesmo

  6. outubro 2, 2010 às 02:30

    LINDO O BLOG E SUAS POSTAGENS M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A.S. VC PARECE SER BEM SIMPÁTICA AMEI SUCESSO BJSSSS🙂

  7. Aida
    outubro 2, 2010 às 15:02

    Cabelos cabelos…. enquanto voce pensa em pintar os seus eu resolvi parar de pintar o meu, ja fazem uns 9 meses ou mais que tintat nao chega perto…. To achando que ta ficando bem legal minha cabeca prateada e por causa disso voltei a usar delineador liquido!!! Os cabelos brancos estao me rtenovando….kkkk
    Muito legal seu post!!
    Beijos
    Aída

  8. tassia
    outubro 4, 2010 às 11:30

    adorei essas fases do cabelo, seu cabelo curto fica lindissimoooo….

  9. Isabella Castro
    outubro 5, 2010 às 01:09

    amei o post! Muito divertido viajar por suas fases…todas nós temos um histórico capilar que as vezes é de lascar!haha Eu passei pela fase chitãozinho e Xororó! e que fase! Parabéns pela coragem Lili!Realmente não é qualquer uma que topa postar esses momentos… E o mais engraçado foi ver o cabelo do Klaus mudando gradualmente junto com o seu! kkkk! Bjos querida!

  10. outubro 23, 2010 às 10:21

    Adorei este post! E tenho que dizer que tu ficas bonita com qq cabelo. sinceramente! bjs

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: