Archive

Archive for the ‘Papo cabeça’ Category

Um pouco sobre as semanas de moda

fevereiro 22, 2011 4 comentários

As semanas de moda são o máximo. Muito glamour, riqueza, gente famosa, certo?

Sim, mas elas vão muito além.

Acho que a gente até se esquece do objetivo principal  que é divulgar e vender.

Lógico que quanto mais frisson tiver em torno delas, mais o objetivo final é atingido.

Mas essa idéia que se se compra do luxo e riqueza só se aplica a uma minoria bem pequena mesmo.

Para começar, vamos falar da massa, na qual euzinha me incluo.

Quem não está trabalhando para uma revista super requisitada, um blog muito famoso, um site de sucesso, uma empresa grande, a história é mais ou menos assim.

As semanas de moda, assim como algumas exposições de arte, desfiles em geral, festas badaladas, são um ótimo lugar para fazer contatos.

E contatos, na minha humilde opinião, são parte do pacote necessário para ter sucesso profissional. Em qualquer profissão é vital ter bons contatos,na moda em especial.

Para pessoas que estão começando, além do simples prazer de estar presente num desfile bacana e ver tudo de perto, o tal do “network” é o mais importante.

Mas qual marca precisa de uma pé rapada “caloura” no seu desfile?

Nenhuma.

E aí começa a dor de cabeça de quem como eu, tem que conseguir convites que não caem do céu.

Funciona bem assim:muitos desfiles tem as pessoas sentadinhas bonitinhas e uma parte para a massa, que fica de pé.

Esses convites dos que estão de pé são para pessoas como eu, que não servem de nada para a marca nenhuma e conseguem com Fulaninho ou cicraninho. Mas eles não chegam na minha casa uma semana antes para eu postar no twitter ou no blog.. Geralmente alguém consegue poucas horas antes do desfile. Aí sai a pessoa desembestada de onde está para pegar o convite onde ele esteja para ir ao desfile. Isso significa que se alguém te deixou de stand by a espera de um convite você deve estar pronta para partir a hora que for confirmado.  Lógico que isso envolve um processo de movimentar os poucos contatos que se tem e pedir esse pequeno favor.

Eu odeio pedir favor. Odeio, odeio e odeio. Para mim a pior parte é esta, mesmo que isso signifique mandar somente um emailzinho como quem não quer nada. Odeio e ponto.

Além da “massa” , tem a galera que trabalha , e muito.

Esses, depois de 4 edições trabalhadas, já conhecem gente o suficiente, já tem os contatos que precisam e geralmente estão trabalhando porque precisam do trabalho, e não dos contatos.

Gente, por mais que seja super legal e necessário ver tudo de perto, pensa num ser humano andando o dia inteiro de lá para cá, usando todas as mídias possíveis para divulgar, anotando tudo, mantendo o trabalho em dia e tudo em cima do salto e da montação que exige uma semana de moda. Cansei de imaginar! Os desfiles das grandes cidades não costumam ser todos em um local só, e o deslocamento constante de um lugar para outro me dá olheiras de pensar.

Deve ser super bacana rever vários colegas de trabalho que só se encontram nessas ocasiões, ver tudo em primeira mão, mas no final do dia é um trabalho que vai de manhã até a noite e cansa.

Fico imaginando que dura missão ser um mito da moda nesses dias, dar mil entrevistas respondendo as mesmas perguntas, ter todo mundo tirando foto sua, não conseguir manter uma conversa de 5 minutos sem sem interrrompida, tipo uma Constanza Pascolatto da vida.

E todo mundo acha o maior glamour da vida, mas pensa bem gente,no final das contas para 90% dos que estão ali ,  é trabalho ,ralação e correria.

Isso tudo me passou pela cabeça quando consegui o convite de um desfile super discreto que acontece num local pequeno em Covent Garden. Ótimo para alguém como yo , que precisa conhecer gente.

Como vários designers que aparecem no Fashion week londrino,pouco se ouve falar desta. É o jeitinho inglês de ser, eles gostam de saber de marcas que ninguém sabe, acho que é até uma maneira de diferenciar os entendidos no assunto dos ignorantes.

Enfim, consegui o ingresso um dia antes, e o sujeito da agência me mandou para a rua tal pois meu nome estava na lista.

Mas ele não disse o número. E eu fiquei procurando que nem uma maluca, até descobrir que a rua , que eu julguei ser super pequena, na verdade continuava depois de uma construção. Resultado: achei o local depois que o desfile já tinha começado.

Acordei super cedo num domingo de manhã para nada. Lógico que me senti uma mosquinha de ter movido tudo aquilo para ir

num desfile de uma designer desconhecida, ficar procurando um lugar que não sabia onde, num frio do caramba, domingo de manhã, para não dar em nada no final.

Para não perder a viagem, resolvi passar em Somerset House, a “sede ” do London Fashion week  para pelo menos fotografar gente bacana, sentir o clima.

Quando vi aquele montão de fotógrafo naquele frio ali de pé  caiu a minha ficha que não sou a única que deve ter se chateado com esse raio de fashion week. E muitos dias de trabalho acontecem para aquilo funcionar.

No final das contas,  continuo achando as semanas de moda lindas e maravilhosas. Continuo querendo ver os desfiles.

Mas acho mesmo que por hora,  devo conseguiu meus contatos em outros locais, pois não tenho mais paciência para “pedição” e correria.

E fica aquela velha lição de quem nem tudo que reluz é ouro.

A menina que mora em Londres

abril 15, 2010 16 comentários

Já faz um tempo que eu procuro uma maneira de dizer alguns pensamentos sobre morar fora do país e do abismo que existe entre o que muita gente fantasia e a realidade.

As pessoas supervalorizam, né?

Mas a pergunta é,  por que?

Acho que não poderia falar sobre isso sem buscar na minha vida as respostas, mas realmente acho que acontece com muita gente na mesma situação que estou.

Londres é linda, democrática, cosmopolita, moderna e antiga ao mesmo tempo. Sim, Londres é o máximo. Assim como Paris é, assim como NY deve ser, assim como o Rio de Janeiro é.  Lugares são como pessoas,  algumas  se destacam, a natureza foi mais generosa com umas do que com outras, a sorte e a história também. Não dá para negar isso, nem tentarei.  Mas viver numa cidade assim te torna tão especial e diferente ?

Hummm, não.

Não quero bater na tecla de que o que se tem aqui se tem em qualquer lugar, não é isso. Tenho consciência que muita informação chega antes, que existe uma facilidade maior de encontrar novidades em geral, é muito mais fácil viver de arte por essas bandas, ixxi é uma lista enorme de coisas,  tenho noção dessa diferença  que não é lenda, existe mesmo. Também devo ressaltar que viajar muda sim uma pessoa. A gente aprende com o novo, a gente respeita outra cultura quando entende melhor de onde ela vem, a gente fica mais tolerante com as diferenças, pelo menos quem viaja e não só faz turismo. Mas este post não é sobre viagem, é sobre vida.

E a tecla que quero bater é outra. Eu queria entender por que as pessoas pensam que é mais especial viver fora do Brasil que em qualquer outro lugar. No sentido de acordar, andar, tomar banho, fazer xixi, respirar, entendem?

Acho que as pessoas fazem uma idéia diferente do que é morar fora do país até viverem a experiência. E não digo passar uma temporada, digo viver mesmo, sem passagem de volta. Pensar que dali para frente, aquele é seu lar, até você mudar de idéia e querer recomeçar mais uma vez, é ali onde você vai ter seus filhos,  casar, mudar de emprego, comprar sua casa. É como ser como ser casada com uma celebridade(deve ser, penso eu). No início é tudo muito cinematográfico,  fotogênico, muito mágico. Depois de um tempo a pessoa é como qualquer outra, uma pessoa que faz parte da sua vida. E como em qualquer relacionamento, tem alegrias e dissabores. Mas de vez em quando você ainda olha para a pessoa e pensa, “nossa, estou casada com esse cara que eu via na televisão, tão especial e disputado”. Deve ser assim. É assim que eu me sinto em relação a Londres. Eu brigo com Londres, eu xingo Londres todinha, eu odeio Londres, eu amo Londres, eu nunca vou sair de Londres, eu arrumo as malas e vou embora agora, fui para aerporto. Mas que fique claro, é assim que me sinto quando vou ao Brasil, é assim que me sentia quando morava em Vitória. Nossa, eu sou desse lugar, essa é minha referência. Essa praia linda faz parte da minha história, do que sou, essa alegria de viver tem no meu DNA, olha a tarde caindo a ave maria tocando e o pescador puxando a rede, olha a capoeira rolando num domingo de manhã, sente o cheirinho do mar, ouve o quebra queixo, olha o sol se ponde, esse céu azul só existe aqui, sou de um lugar onde as pessoas brilham e são diferentes.  E depois de uma ida à caixa econômica o discurso muda. Eu odeio aquele lugar, vou arrumar as malas agora, eu nunca voltarei a morar aqui, as pessoas não tem educação, será que ninguém sabe falar por favor? Viu como é igual?Tudo tem dois lados.  E o mais louco  é saber que muitas pessoas sonham e fantasiam uma vida sem ter a mínima idéia do segundo lado.  Elas querem poder usar casaco de pele, comprar na H&M,  comprar na Sephora de Paris, contar para amiga que ela já tem a bolsa nova da marca x que nem chegou no Brasil, elas inclusive preferem ser assaltadas em Paris à andarem em Ipanema com medo de esbarrar com um possível ladrão, imagine que chic ser assaltada em francês. Elas reclamam do calor infernal sem tem a mínima idéia que reclamariam do frio glacial. Tudoamesmacoisa.

Ai você me pergunta por que estou aqui se é tudo igual.  E eu digo. A minha escolha de viver aqui nada tem a ver com o glamour que as pessoas inventam, ou com o fato de que Fulaninha e Beltrinha vão me achar o máximo, ou de  poder  comprar o armário inteiro da Topshop, ou disso ou daquilo. Viver aqui para mim é uma decisão muito mais complexa, que envolve a minha vida e o que será melhor para mim no contexto geral, profissionalmente em especial, que não tem nenhuma relação com as bobagens que algumas pessoas pensam e valorizam, isso nunca fez a menor diferença nessa minha escolha. Mas é assim que tanta gente me vê.  Gente que não faz parte da minha vida(nem poderia), mas que esbarra comigo por aí, que esbarra com a mocinha moradora de NY que pensa como eu, que esbarra com a menina que mora em Milão e também não está nem tchum para toda essa bobagem. E essa gente  esquece o que eu penso de verdade, o que eu  enxergo, as minhas idéias. O que vale é o mundo que me envolve. Não que ele seja desimportante para o que eu sou e no meu amadurecimento ao longo dos anos, mas sou muito mais do que aquela menina que vive em Londres.

Mágoa da cabocla

março 4, 2010 26 comentários

Já alguns dias que ando pensando no tanto de roupa que tenho e não uso, na quantidade de dinheiro que já devo ter jogado fora com isso.

Quando minha mãe voltou de Londres, levou com ela algumas calças minhas que estão largas, e várias outras roupas e sapatos que vou anunciar pelos blogs/brechós da vida, mercado livre e tudo mais. E tenho mais outro tanto aqui em casa…  Tem coisa novíssima que nunca foi tocada e ainda está na etiqueta, outras coisas que usei somente uma vez!

E muita coisa que certamente vai continuar intocada.

Para quê tanto?

A minha reflexão começou quando o dinheiro ficou mais curto, e o espaço para guardar as roupas também.

Eu sempre gostei muito de comprar, mas sempre odiei gastar demais, dá para entender? Eu tenho prazer em comprar algo que é bom e sei que vou usar mesmo quando é mais caro, e uma sensação orgásmica em comprar algo bombonitoebarato.

Mas de uns tempos para cá tenho comprado demais. Tem gente que desconta na comida, eu ando descontando nas compras.

E o dinheiro vai, vai e quando você vê está cheia de tralha que não vai usar, cheia de coisa que você vai usar mas poderia ter comprado por menos, e cheia de coisa que você vai usar sim mas que está disputando espaço com milhões de coisas que ainda não foram usadas.

E me vi assim.

E depois que uma amiga veio me visitar, e demos muita risada com a teoria do namorado dela que diz que a loucura compulsiva por compras começa quando você tem coisa nova no seu armário e nem sabe disso, parei para pensar. É uma brincadeira, mas é verdade. E não é que comigo está começando acontecer isso?

Ainda não cheguei ao ponto de gastar mais do que posso, mas estou comprando mais do que preciso, e isso é o suficiente para uma atitude djá! Sem falar que espaço é um problemão na minha vida desde que mudei para Londres.

E no meio dos meus devaneios, me deparo com um post da Ana do Hoje eu vou assim off, blog que visito assiduamente  e sou super fã(toda estilosa pagando pouco, como não seria?) sobre isso, e ela cita um post de outro blog ótimo na mesma linha de pensamento.

Aí pensei em lançar um desafio para mim mesma, e mostrar aqui para dentre entre outras coisas, ficar mais sério.

Não vou me importar se esta seção vai fazer sucesso ou não, mas será uma meta pessoal que me proponho a dividir com vocês.

A partir de hoje, não compro NADA enquanto não usar tudo que  ainda não foi usado no meu armário. Gente, isso dá uma pá de coisa. É muita bijoux ganhada da mamãe, muita roupa, muito sapato. E isso porque eu sou pobre. Aliás, é muito bom ter isso em mente, não sou rica, não sou celebridade, sou uma assalariada como qualquer outra qualquer. Porque rico e celebridade tem um armário de coisa que nunca usou como parte da vida, não eu, gente normal não se pode dar a este luxo. A única coisa que está fora do meu desafio é o vestido que terei que comprar para o casamento de uma amiga,pois  serei bridesmaid e terei que ir com a roupa de cor determinada e vestido parecido com o da outra bridesmaid. Desse não terei como escapar por respeito a minha amiga que me convidou e só pediu isso de mim.

E se você pensar, toda mulher tem algum item demais. Esmaltes, creminhos, tiaras, roupas etc…

Não precisa chegar nesse ponto que cheguei, com um armário de coisa sem usar, basta descobrir uma fraqueza e tentar se ver livre dela. A minha é sapato como vocês irão perceber. E mesmo depois que acabar essa brincadeira vou tentar me policiar, com atenção especial a este item tão querido.

Aqui segue  as fotos das minhas coisas nunca usadas(mas tem coisas de brechó, que já foram usadas mas não por mim).

Assustadoramente, só aqui tem mais 85 itens entre roupas, sapatos, acessórios, maquiagem e esmaltes.Fora os que ficaram de fora, e depois registrarei.

E cada vez que usar um deles, fotografo e coloco aqui para provar.

Vai ser difícil, tem coisa que foi comprada por impulso, tem coisa que não tem tanto a minha cara, e tem coisa que não combina com nada, e na teoria de uma maluca como eu deveria ter outra compra para combinar, mas tudo será usado. Não vou determinar tempo, pode ser que isso não dure nem um mês pode ser que dure 5, mas o importante é usar tudinho antes de gastar qualquer dinheiro com roupa, acessório e maquiagem.

Quanto aos creminhos, que também incluí por ter muitos abertos e outros tantos fechados, me comprometi a só comprar um outro shampoo quando usar este até o fim,  a comprar outro hidratante até usar a última gotinha de todos os novos(e velhos que já estão sendo usados), e por aí vai.

Ainda tem 2 jeans que ficaram de fora pois a foto ficou péssima, uma bolsa que comprei pela net e ainda não chegou, um cardigan que esqueci e vários broches que também esqueci. Depois prometo fotografar e colocar aqui, mas não quero deixar de começar o desafio hoje pois não fotografei estas coisas. E tem a comprinha do post anterior também.

Nem creio que vou dividir esta vergonha com vocês, mas lá vai.

Tiaras:

Colares:

Pulseiras:

Brincos:

Anéis e brinco:

Blusas(tem uma que usei na Amy Wighouse, mas não conta pq nunca sai com ela!):

Calça e chapéu:

Vestidos:

Casacos e cardigan:

Echarpes:

Bolsas:

Sapatos:

E mais sapatos:

Cintos:

Maquiagem:

Esmaltes:

Meias:

Creminhos:

Vergonhoso.

Cada um do seu jeito

fevereiro 10, 2010 7 comentários

Já tentei trazer alguns assuntos aqui e apesar da falta de feedback , não desisto pois sou brasileira ! hehehe

Resolvi falar de uma coisa que me incomoda um pouco no mundo da moda que é a imposição de que você TEM que ser magra , TEM que ser jovem , TEM que caber no quadradinho. Chato demais isso!

No mundo real , nós sómos o que somos e ponto. E por mais que você tente lutar , uma hora vai cansar de tentar ficar com 50 kg , sendo que o seu tipo físico é para 60 , ou as rugas vão aparecer (pois uma hora elas chegam, não tem jeito!) , ou vai ver uma outra pessoa na frente do espelho depois de tantas intervenções  (cirúrgicas ou não,) ou vai descobrir que o seu salário não paga uma chanel por mês , essas coisas que muita gente faz para ficar dentro dos padrões. Admiro muito quem trabalha com moda/imagem e sai ileso , mantendo as suas opiniões. Sim , temos que crescer , evoluir , mas é legal manter a  essência.Não digo que sou a favor de sair comendo 1kg de chocolate por dia , ou de viver uma vida nada saudável em nome da leseira , ou não comprar nada mais especial , e muito menos sou contra cirurgias plásticas e coisas que nos façam sentir melhor. Nada disso. Sou super a favor da vaidade .Lógico , afinal de contas o que mais eu faço neste blog é estimular isso mesmo. Mas é difícil ver essa meninas cheias de ossos que visivelmente estão lutando contra o peso , parecem desnutridas , e realmente devem ser , e são padrão de beleza. Sem falar no árduo trabalho de photoshop que tem em cima de tantas celebs em revistas pelo mundo todo . E nós compramos a idéia muitas vezes! Resumindo : não sou contra plástica , sou contra o excesso e a plástica mal feita hehehe , não sou contra dieta , afinal ela é minha companheira desde sempre , mas não sou a favor de lutar contra o que você é para se enquadrar num padrão que não lhe cabe , sou super a favor de botox , só acho estranho fazer isso todo mês e ficar com o rosto  mais duro que uma parede  , ou começar a botocar a cara desde os 21 anos , essas coisas que passam do limite . E para celebrar isso , quero colocar pessoas(famosas ou não) que são lindas , se cuidam sim , mas que não se transformaram em ETs para caber na caixinha. Não serei hipócrita a ponto de postar uma pessoa de 300 kg  dizendo que acho lindo e saudável ,pois não é minha opinião.Mas tem muita gente como a gente por aí , linda e maravilhosa fazendo e usando recursos que a maioria dos mortais também usa, sem cair no exagero , sendo elas mesmas.

Começarei por uma mulher que acho linda .

Ela é fofinha , mas tem formas super bonitas , e é muito sensual mesmo com kilos extras.

Tem uma pele de dar inveja a qualquer bunda de bebê com 50 anos  e um sorriso arrasa quarteirão.

Com certeza tem botox , e é um exemplo da plástica bem sucedida ! hehehe

Mas é gente como a gente !

Sem falar que ela é uma mulher muito inteligente , formada em Oxford meu bem .

Além de tudo é uma cozinheira de mão cheia.

The  Domestic Goddess ,ladies and gentlemen , this is Nigella Lawson.

Linda !

Listinha

dezembro 30, 2009 Deixe um comentário

Ai gente , ando muito previsível esses dias.

Restrospectiva 2009 , inspirações de roupas brancas para a virada, glamour no Natal e agora lista de resoluções para 2010.

Mas as vezes cansa esse negócio de querer sempre fazer diferente , não ser mais um na multidão.

Assim como temos dias de jeans e blusa branca , blogueiras tem dias sem complicação.

Então vamos básica esta semana.

Minhas resoluções para 2010 por categorias :

Mulherzinha-

1) usar a criatividade para comprar menos

2)vender roupas novas e lindas que ficam abandonadas no armário

3) comer menos e emagrecer 1 kilinho que falta

4)cuidar melhor da pele

5) descobrir um hidratante de rosto realmente bom para uso diário

6)colocar aparelho para sorrir mais lindo em 2011

Profissional:

1) fazer um curso de personal stylist

2) fazer trabalhos voluntários na área fashion

3) trabalhar menos(piada ! kkk)

4)escrever muita coisa linda aqui(profissional???)

5)fazer um mini curso de fotografia

Para a vida:

1)tirar carteira de motorista inglesa

4) Ir aos EUA e Alemanha

6) economizar preocupação pois as coisas só merecem a importância que realmente tem

7) ter vontade de aumentar a família (um ano de preparação para querer antes de ter ,kkk)

8 ) aprender de verdade outro idioma(espanhol ou italiano de preferência )

9) falar menos e ouvir mais (sempre presente nas minhas resoluções de vida)

10) deixar de ser preconceituosa , chata  com  síndrome de mulher de músico e ouvir mais música pop (já estou no processo)

11)pensando bem , deixar de ser preconceituosa para tantas outras coisas como cinema , livros … Mania de intelectual enjoada! Tudo tem seu valor e espaço no mundo. Best seller rules , hehehe!

É isso !

É capaz de fazer um update ou outro aqui pois com o tempo a lista aumenta !

Mas por enquanto esse é o resultado das últimas reflexões.